Como decorar seu imóvel alugado em 5 passos

5PASSOSIMOVELALUGADO.jpg

Eu sei que muita gente tem medo de decorar imóvel alugado por medo de "perder" dinheiro cuidando de imóvel alheio, mas tem algumas coisas que podemos fazer para melhorar que podem ir com a mudança, quando não fizer mais sentido continuar naquela casa ou apartamento. E tem sim algumas melhorias na infraestrutura que podem valer a pena modificar para deixar o local mais apropriado ao seu estilo, afinal de contas um contrato de aluguel dura um certo tempo e você não pode passar 2 anos ou mais desconfortável com a sua casa. Para ajudar você nessa missão de morar com qualidade e deixar a casa sem graça para trás compartilho uma listinha com 5 passos:

1- Como escolher os móveis?

O ideal aqui é não investir em itens sob medida e utilizar itens que podem ser utilizados e adaptados em outro imóvel. Mesmo que você compre algo sob encomenda o ideal é que possa ser desmontado/ transportado no caso de mudança. Móveis versáteis que podem ter mais de uma função também são opções legais e práticas, por exemplo nessa casa você precisa de mesa lateral, mas na próxima ele pode funcionar melhor como um banquinho e assim por diante.

photo-1502672260266-1c1ef2d93688.jpg

2- A infraestrutura não está tão legal, vale a pena arrumar?

O que eu indico aqui como infra é tudo que não pode ser tirado do imóvel como pisos, rodapé, revestimentos, pintura, bancadas. Alguns proprietários topam descontar do aluguel alguma melhoria no apartamento, outros não. Se tiver alguma coisa feinha e que não funcione bem pense no custo da reforma deste item, principalmente se o proprietário não topar fazer um desconto, faça a conta desse valor diluído no aluguel, vai valer a pena arrumar esse imóvel ou procurar outro mais bem cuidado que talvez tenha um aluguel um pouco mais caro?

Pintura é algo que fica no apto mas como o custo para pintar não é tão alto assim e geralmente quando o inquilino sai tem que entregar pintado, é uma opção de baixo custo e alto impacto investir numa cor ou uma pintura mais artística na parede.

Existem pisos vinílicos de modelo click, que não são colados e apenas encaixados no ambiente que podem ser retirados e levados para reinstalar em outro imóvel. 

Para adaptações de elétrica se jogue no estilo industrial e utilize os conduletes metálicos para posicionar os pontos e quando for trocar de imóvel leve com você e comece de novo na casa nova. Para quem não gosta desse estilo, existem as fitas elétricas, que podem ser instaladas sem quebrar a parede e disfarçadas por massa e pintura, mas essa opção não dá para remover e reaplicar em outro local.

photo-1508223205522-37049b3aac6d.jpg

3- Tapetes e cortinas, tem que ter?

Tapetes dão um toque aconchegante no ambiente e podem ajudar a esconder um piso mais caidinho também (olha a dica esperta rs). Cortinas são essenciais para controlar a luz que entra no ambiente, garantir privacidade e ainda dar acabamento na decoração.

Os tapetes são mais fáceis de resolver comprando uma medida padrão, principalmente se o ambiente não for muito grande, no caso de um local grande talvez seja necessário fazer sob medida para abranger o layout da melhor forma.

Já as cortinas são superdifíceis de acertar com modelos comprados prontos, para modelos prontos recomendo as persianas, tela solar e romanas que são mais fáceis de acertar, o importante é deixar uns 15cm de sobra da persiana em relação a medida da janela em todo o perímetro. Já para cortinas de tecido instaladas com trilho ou varão o ideal, principalmente para sala de estar/jantar é que a cortina seja do tamanho da parede (largura e altura), e para que ela possa ser utilizada em outro local faça uma cortina com volume para poder ajustar a largura em caso de ir para um local maior e faça uma barra alta com uns 20cm para poder soltar ou encurtar numa possível adaptação.

photo-1499916078039-922301b0eb9b.jpg

4- Luminárias

Se o imóvel não tiver uma iluminação eficiente a regra continua valendo aqui, invista em modelos de sobrepor ou pendentes que podem ir para outro local com você. Se não quiser mudar nenhuma luminária de teto, invista em modelos de luminárias de piso e de mesa para complementar a iluminação e dar aquele clima aconchegante ou uma ajuda na leitura.

photo-1521376275026-c30ae7f3f557.jpg

5- Itens de decoração

Itens decorativos nós podemos levar em caso de mudança então abuse desse recurso para dar estilo para sua decoração. Quadros, almofadas, objetos, vasos com arranjos, plantas, são a cereja do bolo na decoração, dão a sensação de casa bem cuidada e de casa completa.

photo-1519397652863-aad621636ac7.jpg

Gostou das dicas? Quer fazer escolhas mais assertivas para o seu imóvel alugado? Entre em contato conosco, temos preços especiais para consultoria de interiores para imóveis alugados. Clique aqui e me escreva para saber mais.

Até o próximo post!

O Escritório do Futuro

Já faz algumas semanas participei de um workshop online sobre projetos de escritórios, tendências e novos usos do espaço promovida pelo site Galeria da Arquitetura, com o arquiteto Fernando Vidal, do escritório internacional Perkins+Will. Já faz um bom tempo que tenho dedicado atenção a esse tema e, no início desse ano, eu e a Carol Shiroma tivemos a oportunidade de projetar um espaço de trabalho/comercial (em breve aqui e nas nossas redes sociais) que nos fez dedicar ainda mais atenção para essa área da arquitetura de interiores e quero compartilhar aqui um pouquinho dos insights sobre as novas formas de trabalhar e como os espaços devem acompanhar essa evolução.

escritorio do futuro 01.jpg

A primeira coisa que precisamos tomar conhecimento é de que a tecnologia mudou e está mudando a nossa forma de trabalhar a cada instante (alô internet). Não podemos mais replicar os modelos de escritório de antigamente, temos que abrir a mente para transformar os espaços de trabalho conforme as atividades que exercemos neles. Hoje em dia exercemos vários papéis dentro da nossa função, nosso dia de trabalho tem momentos variados (do foco, do coletivo, de descompressão) e os espaços de trabalho precisam dar conta dessa transitoriedade dos papéis profissionais que exercemos.

Nos próximos anos, os espaços de trabalho estarão em evolução contínua, assim como nossa forma de trabalhar, e para que estejamos preparados, precisamos começar a projetar já (já tem um tempo que tem gente testando o novo), levando em conta algumas premissas, para que os espaços de trabalho possam fluir melhor nessa constante transição (não é só para o Google, tem que ser para todos).

O escritório do futuro é aquele que permite, versatilidade, integração e interação. Que proporciona bem-estar, que estimula a criatividade, que fideliza, entretêm e diverte (por que não? trabalhar, por mais que se ame o que se faz, não é mole não) não só o cliente, mas também o colaborador.

Se você se interessa pelo tema, veja esse vídeo (aqui em baixo) sobre as novas formas de organização que as empresas estão se aventurando. Depois de assistir essa entrevista da Rafa Cappai com o Alexandre Pellaes você vai entender que os ambientes precisam se modificar mesmo para atender essa nova demanda e esse novo jeito de operar.

E você, também acha que está na hora de diminuir esse gap entre trabalho e escritórios? Está na hora dos espaços acompanharem a tecnologia?

Se você quer preparar sua empresa para essa constante evolução, entre em contato com a gente para saber qual a melhor solução para seus ambientes.

 Foto: Unsplash

Foto: Unsplash

Até o próximo post!

Como escolher revestimentos para seus ambientes?

Essa semana está acontecendo a Expo Revestir, (hoje o último dia) a feira é um grande evento do setor de acabamentos e revestimentos, criando grandes oportunidades para negócios e também uma grande vitrine para os fabricantes apresentarem seus produtos e lançamentos.

Ontem eu fiz uma breve visita a feira, porém sofri um pouco com meu próprio cronograma apertado e uma feira super lotada! E não vou poder compartilhar com você o post que tinha em mente, mostrando as novidades da feira porque eu também não consegui ver muito, estou sabendo melhor do que vi no stories do instagram (pois é, estava complicado rs). Porém tem um outro assunto relacionado a feira que podemos abordar por aqui e que pode ser até mais útil, você sabe como escolher revestimentos? O que levar em consideração neste vasto mundo de opções que o mercado nos oferece hoje em dia?

REVESTIMENTOS.jpg

Existem "zilhões" de opções, e a cada dia a tecnologia permite inovações criando revestimentos ideais para cada situação. Por onde começar?

É importante você explicar para seu arquiteto ou vendedor qual o ambiente e qual o tipo de uso. É área interna ou externa? Quem vai usar? Qual a principal função do ambiente? Tem animais de estimação? Tem idosos ou crianças que vão utilizar esse ambiente? Qual o tipo de manutenção/limpeza que você tem disponibilidade para fazer? Qual estilo você procura? Qual seu orçamento?

Todas essas respostas vão te direcionar para o tipo de revestimento mais adequado para seu ambiente.

Aqui vai um rápido guia de qual revestimento pode ser mais interessante de se considerar para cada tipo de ambiente de uma residência.

Cozinhas: aqui o ideal é ser um revestimento que possa ser lavado, portanto podemos pensar em cerâmicas, porcelanatos, granitos e outras opções que possam suportar bem gordura e uma sujeira mais pesada sem mancharem e se danificarem.

Banhos: nos banheiros há muita umidade e o mesmo raciocínio da escolha da cozinha se aplica, porém, o uso do banheiro é menos intenso então permite além dos revestimentos já citados, também o mármore, limestone, etc. A maioria dos fabricantes tem peças especiais para utilizar apenas nos banheiros. Uma dica, para deixar o mofo mais distante do seu banheiro é legal utilizar rejunte epóxi, que garante que as sujeiras e fungos não penetrem tão facilmente.

Salas e dormitórios: aqui o leque se abre para madeiras, laminados, vinílicos e outras opções que não se dão bem com água.

Área externa: área externa sofre um desgaste maior por estar mais exposta a chuva e sol, precisa de revestimentos mais resistentes e que proporcionem segurança para quem usa, sendo importante também pensar em materiais antiderrapantes em locais totalmente abertos.

Já para áreas comerciais e corporativas a lógica das perguntas citadas acima permanece, mas adaptando para as atividades de cada ambiente dentro da empresa.

Para quem pensa em reformar, existem dezenas de opções de pisos que podem ser instalados sobrepondo o existente e economizando uma etapa da demolição, mais uma vez espero que você consulte um profissional para te guiar dentre as melhores opções para o seu ambiente e que vai te ajudar além de definir estes aspectos práticos a chegar numa estética bacana que combine com suas expectativa também.

Espero que esse texto tenha sido útil, se ficou alguma dúvida me escreve que tentarei ajudar!

Até o próximo post!

photo-1495936387332-f28b44e85bfd.jpg

Arquitetura de Interiores e uma vida de qualidade

Olá tudo bem?

Essa semana eu quero falar com você sobre a Arquitetura de Interiores e como ela pode contribuir para se viver melhor.

POST02-INTERIORES.jpg

Uma boa introdução para esse assunto é a definição do livro Projetando Espaços: guia da arquitetura de interiores para áreas residênciais, onde a autora Miriam Gurgel começa nos dizendo que a arquitetura de interiores estuda o homem e suas particularidades socioculturais, sendo a expressão científica de seu modo de viver. 

Quando projetamos interiores levamos em conta fatores objetivos e subjetivos. Os fatores objetivos são todos aqueles regidos por normas, ergonomia, clima, enfim toda a parte técnica do processo. Já os fatores subjetivos tratam da utilização do espaço se atendo aos detalhes das atividades e preferências pessoais de quem vai utilizar.

O trabalho do arquiteto está em combinar essas duas partes da equação para chegar num resultado que atenda da melhor forma possível o uso do espaço. Temos que balancear técnica e sensibilidade para desenvolver um projeto que atenda as demandas do usuário do espaço, nessa conta entram proporçao, harmonia, escolha de materiais, ergonomia, estilo e algumas mais.

Um projeto de interiores bem pensado e executado pode facilitar as atividades do dia-a-dia tornando a vida mais prática, deixando os ambientes em harmonia com nossos gostos e estilo de vida. Adaptar os ambiente para a vida que a gente quer e precisa ter é fundamental para ter qualidade de vida. 

Tenho um exercício para você, pensa na sua casa, no ambiente que você mais usa. Quais os pontos fortes que funcionam no seu dia-a-dia? E o que te atrapalha na rotina? Pensou aí? Talvez se você pudesse replanejar este espaço de uma forma que só tivessem prós, seu dia  começaria e/ou terminaria melhor, não é? Ajeitar o que não está bom e não funciona nos nossos ambientes elimina um fator causador de estresse. Viver num ambiente harmonioso, em sintonia com nossa personalidade é um ótimo incentivador a sermos melhores também.

Para se aprofundar nesse assunto recomendo o livro Arquitetura da Felicidade, do autor Alain de Botton, nele, ele explora os sentimentos que uma arquitetura bela provoca em nós, e como lugares desagradáveis podem ser um convite a infelicidade.

E você, está precisando da arquitetura de interiores para renovar seu modo de viver?

Deixe seus comentários.

Até o próximo post!